Saturday, July 07, 2007

BIOCOMBUSTIVEIS E A RETÓRICA DE LULA

Lula disse que o álcool não ameaça o meio ambiente em sua palestra para a Comunidade Europeia na Conferencia Global sobre Biocombustiveis.

O presidente brasileiro, convidado de honra da conferência, disse que o plantio de cana-de-açúcar no país não comprometeu a produção de alimentos e está bem distante da Amazônia. Em resposta aos temores de que a região possa ser desmatada com o aumento da produção de biocombustíveis, Lula rejeitou a idéia.

O interessante no raciocínio do nosso bem informado presidente é que ele fala que a produção nao ameaça o meio ambiente e não afeta a produção de alimentos. Segundo nosso ilustre presidente, a produção do álcool não afeta o meio ambiente porque está longe da Amazônia. Pelo que parece, para o nosso presidente, o meio ambiente brasileiro se restringe a Amazônia.

Acontece que a cana de açucar é plantada na região coberta por floresta atlântica, principalmente no nordeste. Justamente no nordeste é onde temos a maior destruição da cobertura florestal desse bioma, causado principalemente pelos séculos de uso da região pelos usineiros. É justamente no nordeste onde encontramos o maior número de especies ameaçadas da Floresta Altantica.

Para o presidente, confortar os europeus de que seu governo está se preocupando com a Amazônia traria o passaporte pare mais investimentos estrangeiros no pais. Produzir os biocombustiveis seria uma grande contribuição brasileira para reduzir o aquecimento global. Ai teemos um dilema. Como podemos produzir mais álcool derivado da cana-de-açucar e da mamona sem derrubar florestas? No processo do preparo da terra para o plantio da cana, ou da mamona temos a queima da vegetação original para obter-se o espaço para o cultivo da planta que produzirá o biocombustivel. Neste processo teremos uma grande produção de CO2, gerado durante as queimadas. Parece que estamos propondo a troca do 6 por meia duzia. Temos o alcool que produz menos CO2 que os derivados do petroleo, mas em sua produção já foi gerado a emissão de CO2.

Mais interessante é que nosso presidente disse que não produziriamos o álcool e outros biocombustiveis na Amazônia, demonstrando sua preocupação com o meio ambiente, mas Lula não comentou sobre os avanços da soja na Amazônia, que estão causando grandes perdas de florestas, sem o respeito ao código florestal. Lula esqueceu que temos o ilustre Governador Blairo Maggi e seus 400 mil hectares plantados de soja em terras amazônicas.

Lula não comentou também que ja existem projetos para a produção de cana no Pará.

Seria isso tudo mais histórias para os gringos ouvirem?

1 comment:

Eliziane Mello said...

Interessante teu blog. Realmente essa "alternartiva" dos biocombustíveis deve ser melhor aprofundada através de debates e estudos, principalmente quando a questão é a área onde será efetuada o plantio. Concordo quando diz que se queimarmos florestas para plantar cana ou outras leguminosas estaremos utilizando pesos e medidas idênticas. Entretanto penso que há muitos locais mais adequados para tal finalidade, isso é claro, se o clima for propício. Parabéns pela contribuição em defesa da natureza!Grande abraço. Lizi Mello